Magia Rubro Negra


RECORDAR É VIVER – POR GLÁUCIA MARQUES by @fabiojustino
16/10/2010, 2:56
Filed under: Colunas, Notícias Diárias

“Recordar é viver… o Bebeto acabou com vocês”

“O Rio de Janeiro amanheceu cinza e chuvoso naquele 13 de dezembro de 1987. A chuva torrencial que castigava a cidade preocupou muita gente pelos estragos que poderia trazer. Comigo não foi diferente. Minha preocupação era um pouco mais egoísta: por mim, o dilúvio poderia continuar, desde que não estragasse o gramado do Maracanã. Afinal, mais tarde, decidiríamos mais um Brasileiro, desta vez contra o Internacional, e eu sabia que só a chuva poderia marcar Zico, Andrade, Bebeto e Cia.
 
Dono de uma campanha irregular na fase de classificação e uma reta final avassaladora, o Flamengo era um time de craques, do goleiro ao ponta-esquerda. Zé Carlos, Jorginho, Leandro, Edinho e Leonardo; Andrade, Aílton e Zico; Renato, Bebeto e Zinho. Dirigidos por Carlinhos, o “Violino”, todos jogavam por música. Ali, ninguém desafinava – nem afinava também. Se não dava na base da técnica, ia na base da garra – e as duas memoráveis partidas da semifinal contra o Atlético Mineiro servem de prova disso.

Não sei se foi minha reza ou se foram os deuses do futebol, diretamente interessados em não prejudicar um time que jogava bonito e que tinha craques do início ao fim da escalação. Mas na hora do jogo, o dilúvio virou chuvisco. E aí foi a vez do Mengão fazer chover.

Naquele gramado molhado, só deu Urubu. Literalmente, até. Logo no início da partida, nossa mascote de rapina entrou em campo, sendo retirada de lá por Renato. Não demorou muito até sair o gol . Aos dezesseis minutos, um iluminado Bebeto empurrou para o fundo do gol a bola açucarada que recebera de Andrade. Ganhou dos marcadores na corrida e chegou antes de Taffarel, abrindo o placar e fazendo o estádio tremer. Gol do título, gol do tetra, gol inesquecível.

Lá se vão quase 23 anos e teremos mais uma partida contra o Internacional. As circunstâncias são outras, o estádio é diferente e o Flamengo está longe de jogar bonito como aquele Flamengo de 87 jogava. Mas a paixão pelo Fla… Essa continua a mesma. Cada vez mais renovada e forte. Eterna. Indescritível. Inexplicável. Que a magia daquele time contagie o elenco atual e nos leve à vitória contra o Inter. Mais uma vez.”

*CRÉDITOS: YOUTUBE – sorrisosinistro

MAGIA NELES!
Participação Especial: Glaucia Marques
E-MAIL: paixao@magiarubronegra.com.br
TWITTER: @magiarubronegra

Anúncios


1 DOMINGO, 6 PONTOS, 100 JOGOS, 300 JOGOS by @fabiojustino
10/10/2010, 0:47
Filed under: Colunas, Notícias Diárias, Videos

“Tivemos alegrias e tristezas, mas nunca deixei de expressar o meu amor por essa NAÇÃO. Só tenho que agradecer e pedir desculpas se algum dia errei” Léo Moura

E a NAÇÃO RUBRO NEGRA que andava meio ‘assim, assim’, retomou o fôlego, deu uma elevada na estima e está lotada de confiança para o confronto com Avaí no Estádio da Ressacada (SC) – terra de Antonio Nunes, nosso eterno Lico. Para quem não sabe, nós enfrentamos o Avaí desde 1961, ou seja, 8 partidas. Com seis vitórias pro PODEROSO MENGO, um empate e apenas uma derrota. Quem curte futebol, sabe que esses números significam… porcaria nenhuma né? Agora nessa ‘partida de 6 pontos’, teremos duas marcas sinistras e com tremenda relevância: 100 partidas do nosso Luxa e (pasmem) em pleno século XXI, época de aproveitadores e mercenários, teremos o jogo de nº 300 do nosso verdadeiro Capitão Léo. Isso mesmo, 300 vezes vestindo a camisa 2, 300 vezes jogando na lateral direita, 300 vezes honrando a camisa do clube de coração…

FANTÁSTICA PRODUÇÃO: LEOMAGAMON (MAGIA RUBRO NEGRA)

Que esta marca tão expressiva, seja uma motivação plus para arrancarmos 3 preciosos pontos em Santa Catarina. O Avaí jogou 14 partidas em casa e obteve apenas 6 vitórias. Vamos com tudo pra cima deles. Sem pensar em empate, sem ter medo de perder. Nosso Luxa já adiantou, o Bonde RUBRO NEGRO vai de Marcelo Lomba; Léo Moura, David Braz, Welinton e Juan; Willians, Correa, Kleberson e Renato Abreu; Diego Maurício e Val Baiano. E isso é o de menos, mesmo que a escalação fosse Bigu, Onça, Ronaldão e Tinteiro; Manteiga e Dendê; Sapatão, Foguete, Negreiros e Beijoca, a chapa ia ficar quente pro ‘bonde dos avaianos’.

Quem encara o FLAMENGO não bate de frente apenas com os predadores que encarnam o manto, quem enfrenta o RUBRO NEGRO DA GÁVEA tem a árdua missão de superar a imbatível NAÇÃO RUBRO NEGRA (sempre presente), nossa história de TRANSPIRAÇÃO e RAÇA, um esquadrão 6 vezes CAMPEÃO BRASILEIRO, 31 VEZES CAMPEÃO CARIOCA, 2 VEZES CAMPEÃO DA COPA DO BRASIL, 1 VEZ CAMPEÃO DA LIBERTADORES, ÚNICO CARIOCA CAMPEÃO DO MUNDO, títulos, títulos e mais títulos…

Tá preparado? Vai encarar? Então tenta a sorte…

MAGIA NELES!
EQUIPE Magia Rubro Negra
fabio@magiarubronegra.com.br
TWITTER: @fabiojusttino



EU VI O GOL DO VAL BAIANO – POR EQUIPE MAGIA RUBRO NEGRA by @fabiojustino
09/10/2010, 0:44
Filed under: Colunas, Notícias Diárias

Falei: “Não pensem que vocês são craques, bundinha para o lado e para o outro e acha que vai jogar no Flamengo, porque não vai jogar. O clube teve jogadores de garra, como Liminha. Não precisa ser craque. O Flamengo quer jogadores que se doam e se entregam ao máximo – explicou Luxemburgo, o comandante rubro-negro. Fonte: Lancenet

A chuva que ameaçou, ameaçou e caiu, o engarrafamento gigante na Rodovia Presidente Dutra e a dificuldade para entrar no estádio. Tudo isso deveria irritar (e muito), mas entendemos como um sinal divino, algo ‘nos dizia em RUBRO NEGRO’ que aquela noite seria nossa.

Fábio Justino (Magia Rubro Negra), Fernando Holanda (Magia Rubro Negra), Luis Ribeiro e amigos (Saudações Rubro Negras), encararam todas as adversidades e foram a Volta Redonda apoiar o MENGO e ver de perto a estréia do Luxa.

IMAGEM: Luis Ribeiro – Blog Saudações Rubro Negras

Como é do conhecimento de TODOS, o resultado não poderia ter sido melhor. Um 1º tempo para esquecer e um 2º tempo para não sair da memória. Cruzamento do Marquinhos (após passe do Diego Mauricio) e gol de cabeça do Val Baiano, nós estávamos bem ali, atrás daquele gol.

A comemoração foi mágica, um misto de alegria pelo resultado e êxtase por ver o desencantar de um artilheiro. Logo depois o menino Diego Maurício (que jogou muita bola), marcou o 2º selando a vitória.

O jogo não foi um primor em técnica, mas a RAÇA habitual daqueles que incorporam o manto foi vista em campo depois de muito tempo. Eu sei que está cedo pra falar, nós estamos empolgados, foi só a 1ª partida dele no comando, mas… um fato é indiscutível, ter um treinador ‘de verdade’ a beira do campo é outra história. Você sentia isso na reação da própria torcida, que cantou intensamente (e diversas vezes durante a partida) o nome de Wanderley Luxemburgo.

Palmas para Diego Maurício, para Val Baiano, para Luxemburgo, para todo o elenco, mas eu (como sempre) tiro o chapéu para NAÇÃO RUBRO NEGRA que cantou os 90 minutos e apoio como há muito tempo eu não via. Alívio em campo e show na arquibancada.

Daqui há alguns meses quando alguém pedir Val Baiano na seleção do Mano Menezes, vou poder bater no peito e dizer:

– Eu vi o 1º gol do Val Baiano com o MANTO SAGRADO. Eu estava lá.

MAGIA NELES!
EQUIPE Magia Rubro Negra
paixao@magiarubronegra.com.br
TWITTER: @magiarubronegra



A CHAPA VAI ESQUENTAR – POR FÁBIO JUSTINO by @fabiojustino
02/10/2010, 2:34
Filed under: Colunas, Notícias Diárias

“Mas o Flamengo não é uma abstração histórica. É um complexo de carne, ossos, tendões, músculos. Quando se fala nele, vêm à mente os heróis que, no decorrer das décadas, têm vestido sua camisa e formado times de sonho” Ruy Castro

Amigo RUBRO NEGRO, os dias são maus e uma nuvem negra resolve estacionar injustamente na Gávea, o ano de 2010 não tem sido generoso conosco.

O que fizemos de errado? Ser HEXA em 2009? Debochar dos nossos rivais? Peitar aqueles que loucamente prometiam nos processar? Acho que não, sempre fomos assim, a ousadia e o deboche nos caracterizam, fazem nossa torcida odiada e invejada.

Jamais perguntaria a Deus do céu. Temos outras prioridades com ele nesse momento. Agora uma pergunta tola. Desde quando crise na Gávea é novidade? De uma ‘crise’ vizinha nasceu nosso futebol, no meio do ‘furacão’ fomos tri em cima do vasco, das confusões passadas ‘nasceu’ o HEXA. Isso é motivo de orgulho? Não, não é. Precisava ser assim? Claro que não. Mas digam uma coisa: O que fazer?

Não tenho todas as respostas, mas guardei uma na manga. Nos resta torcer. Ainda que o clássico dessa tarde – por motivo de força maior – tenha ficado em 2º plano, ainda que nossa alma carregue uma tristeza difícil de mensurar e ainda que alguns apostem que fatos recentes vão tornar o embate moleza… faço um alerta… a chapa vai ficar quente.

Quem conhece o FLAMENGO sabe bem o que uma adversidade pode causar no já combalido QG do Urubu. Portanto homens, atletas e Valentes do MANTO, corram por TODOS. Corram por vocês, pelo manto, pelo Zico, pelo Flamengo e pela NAÇÃO.

Escolha a melhor expressão e faça uso: Risco no chão? Recomeço? Estaca zero? Não interessa, importa, que o FLAMENGO move a alegria de milhares, é a razão da vida de tantos outros e justificativa essencial para o típico sorriso brasileiro.

Há um motivo maior para não desistir, há um clube que mata, maltrata e arrebata, há um time com uma responsabilidade ‘monstra’ nos ombros. Porém, não esqueçam jamais, há uma NAÇÃO acostumada a carregar esse time nos braços e disso ninguém ousa duvidar…

‘Essa loucura que sinto por ti, nunca se acabará’

MAGIA NELES!
EQUIPE Magia Rubro Negra
fabio@magiarubronegra.com.br
TWITTER: @fabiojusttino



O maior equívoco – Por Conrad Rose by fholanda
02/10/2010, 1:34
Filed under: Colunas, Notícias Diárias

Rubro-negro da gema, hexa e atual campeão, inflado e marrento como tal, eu me orgulhava de contar com a batuta do Galinho para inserir ética, modernidade e profissionalismo no futebol do Flamengo. Infelizmente, interesses escusos – daqueles que se utilizam do clube e do seu patrimônio popular para aventuras empresariais e políticas – fizeram com que Zico se afastasse e retrocederam o mais querido ao desmando e ao acaso. E desta vez sem Maracanã, sem Joel, ficou tudo nas costas de São Judas Tadeu.

Órfãos e sem uma casa digna, creio que – como eu – a grande maioria dos flamengos está se sentindo abandonada e envergonhada. E com certeza não são estes os sentimentos que nos legaram aqueles que honraram os postos ali assumidos, feito José Ramos Padilha, Dario de Melo Pinto, Gilberto Cardoso, Jayme de Almeida, José Lins do Rego, entre tantos, e até cargos oficiosos embora autênticos, tal Jayme de Carvalho e Padre Góes. Hoje, meus caros, é uma página que divide a história do Flamengo. Restará saber se virá algo de positivo, comparável ao já conquistado, para eternizar a nossa glória e o nosso legado de clube mais popular do planeta. Ainda que venha, hoje – quando inaugura outubro – é um dia de profunda tristeza.

MAGIA NELES!
Conrad Rose
escritor ficcionista
Clipping: http://www.oficinadeconto.blogspot.com/

MSN: conradrose@hotmail.com



UM CANTO QUE ENSURDECE – POR FÁBIO JUSTINO by @fabiojustino
19/09/2010, 0:13
Filed under: Colunas, Notícias Diárias

“Há um grito que estremece a arquibancada, há um time que sacode a multidão. Amor comum a coberturas e favelas, paixão que queima e faz doer o coração”

IMAGEM: DiaDiaDaniel [Flickr] – EDIÇÃO: Magia Rubro Negra

Eu não tenho medo de tricolor. Seja ele gaúcho, paulista ou carioca. Devo a eles um Brasileiro, uma Copa dos Campeões e diversos regionais. Minha torcida não segrega, não é de fases e não conhece apenas um estádio. Vamos onde o Flamengo joga, gritamos até perder a voz, transformamos pernas de pau em ídolos e somos chamados de NAÇÃO.

Nunca jogamos terças e quintas, apoiamos até o fim. Não escolhemos adversários. Não tememos ninguém. Ignoramos o favoritismo, mas não economizamos sangue, suor e raça.

Que eles não assistam pela TV, não ouçam pelo rádio e não acompanhem pela internet. Aquelas festinhas grenás e as chuvinhas escrotas com pó de arroz, vão sucumbir mediante o grito ensurdecedor da NAÇÃO. Eles sabem que precisam aprender e reconhecem que são menores. Muito longe então de ser melhores. Não empurram o time, não ganham no grito e não viram jogos.

Enquanto a gente arrebentava um Carioca, vocês jogavam a Série C. Enquanto a gente comemorava o 6º título Brasileiro, vocês brigavam pra não cair. Enquanto a gente esbanja FÉ e otimismo, vocês contam os minutos para descer tabela abaixo. Nós somos a cor dessa cidade, o canto dessa cidade é nosso. Quem veste esse manto, já conhece essa ‘atmosfera’, quem vive rotina de glórias conhece bem os sinais que precedem um triunfo.

Com nosso manto sagrado e a nossa bandeira na mão, qualquer estádio é nosso. O mais importante é que daqui a pouco… vai começar a festa.

MAGIA NELES!
EQUIPE Magia Rubro Negra
fabio@magiarubronegra.com.br
TWITTER: @fabiojusttino



MAGIA NELES – POR EQUIPE MAGIA RUBRO NEGRA by leomagamon
19/08/2010, 19:38
Filed under: Magia Divulga, Notícias Diárias

Nação, as novas figurinhas do álbum do Mengão chegaram…

… será que vão colar? Nós acreditamos que sim, e vocês?

MAGIA NELES!
EQUIPE Magia Rubro Negra

paixao@magiarubronegra.com.br
TWITTER: @magiarubronegra